Desfile Cívico homenageou Iguaba Grande com o tema da Copa

Flore´Ser desfilou com a apresentação de dançarino cadeirante

As Escolas do município não economizaram na criatividade para homenagear Iguaba Grande no Desfile Cívico, pelos 23 anos de Emancipação Político-Administrativa. Instituições como o Movimento de Mulheres, Academia de Artes, Ciências e Letras, Brigada Animal e outras, além das Bandas Marciais, como a premiadíssima Corporação Musical de Iguaba Grande (COMIG), também registraram presença contagiando o público com os temas escolhidos.

Ao total, 14 escolas desfilaram, a maioria se apresentou com o tema da Copa, como a Creche Zenith Moreira, que levantou o cartaz “Creche Zenith com emoção, vai gritar: Brasil Hexacampeão”, Claudio Moacyr, Nerea Esther Batista, Ernestina Soares e a Escola Margareth Pinheiro que enfatizou Monteiro Lobato com: “o Sítio do Pica-pau Amarelo também torce pelo Brasil”.

O Centro de Referência do Idoso de Iguaba Grande (CRI) entrou na Avenida com a caracterização da Copa através de danças e assessórios coloridos homenageando o aniversário de Iguaba Grande. Segundo a Coordenadora do CRI, Marcia Soares, os idosos transmitiram a alegria que eles têm dentro do Serviço. “Eles já estavam esperando por esse dia, essa animação é apenas o retrato daquilo que vivem na rotina do nosso trabalho. E eles são assim, mesmo com as dificuldades, tudo é levado da forma mais alegre”, ressaltou a Coordenadora.

Quem também prestigiou o aniversário da Cidade foram os Dançarinos Colinos Fenix e a professora Soyane Vargas, da Cia Holos de Dança, de Niterói. Os dois se apresentaram a frente do Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual, Flore´Ser de Iguaba Grande. Colinos é cadeirante, e já tem 15 anos que vive com a dança. Para ele, é uma grande conquista se tornar referência para o público. “O que mais vale em se apresentar assim, é poder mostrar as outras pessoas que se eu posso, elas também podem, e que não tem dificuldade e sim possibilidades. A cada apresentação é um novo renascimento e sentir esse retorno do público é muito importante”, destacou o dançarino. O público aplaudiu e se emocionou com a apresentação da dupla, a professora de Dança, Soyane Vargas, atribui isso ao reconhecimento pela inclusão. “Incluir não é só falar sobre o assunto, mas mostrar como deve ser feito. E incluir através da arte é uma das nossas missões. As pessoas se emocionaram e bateram palmas, não foi por que sentiram pena, mas por apreciaram o nosso potencial”, acrescentou a professora.

Os funcionários do setor de Serviços Públicos foram homenageados pelas autoridades no palco, pelos serviços prestados ao município. As frotas de veículos das Secretarias também passaram pela Avenida, como o Caminhão Baú, destinado a Coleta de Lixo Seletiva, doado recentemente pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA). Além de fazer a abertura do desfile, a COMIG encerrou se apresentando com uniformes novos e com uma prévia do show que levarão para as próximas competições no decorrer do ano.

Texto: Daniele Beldon