Projeto Cidadão Participativo de Iguaba Grande prepara jovens para o mercado de trabalho

Ao todo são 60 jovens empregados em diversos setores públicos

Jovens iguabenses seguem sendo preparados para o mercado de trabalho por meio do projeto Cidadão Participativo realizado pela Prefeitura de Iguaba Grande. O projeto, que exerce grande influência nos primeiros passos da carreira, é desenvolvido pela Secretaria de Trabalho e Ação Social que incentiva o jovem a buscar novas experiências e, principalmente, obter o primeiro emprego e ajuda na qualificação profissional.

A proposta é ideal para aqueles que buscam adquirir conhecimento e prática para os novos desafios que vão encontrar no mercado de trabalho. “É muito legal a experiência de ter meu primeiro emprego. Aqui na prefeitura eu aprendo coisas novas, procuro sempre fazer meu melhor e ajudar sempre no que for preciso. Participar do Cidadão Participativo tem acrescentado muito em todas as áreas da minha vida”, disse Jonathan Moraes, Jovem Participativo da Subsecretaria de Obras e Serviços Públicos.

Os jovens passaram por um curso de capacitação que hoje dá a oportunidade de desempenhar sua função nos departamentos da prefeitura. Esse treinamento preparou cada um deles para trabalharem durante nove meses, em que vão exercer várias atividades administrativas como receber, expedir e arquivar documentos, apoiar na realização de eventos, manter materiais ordenados e atualizados, realizar atendimento telefônico, etc.

“Na minha época, os jovens começavam a trabalhar bem cedo e, hoje em dia, muitos deles só começam a trabalhar depois que completam 18 anos e acabam ficando ociosos. A partir do momento que houve a inclusão dos jovens com 16 anos por meio desse programa, eles ficaram mais ativos, passam a receber salário, criando responsabilidade, e toda essa experiência abre portas. Esse projeto só trouxe coisas boas pra minha filha, ajudando a ter uma renda e a criar uma independência”, declarou Flávia Souza, mãe de uma jovem participativa.

Esse projeto é fundamentado na Lei Municipal nº 721/2006 de 22 de Setembro de 2006 e acontece nos turnos da manhã e da tarde, onde o adolescente cumpre uma jornada de trabalho de quatro horas, num total de 24 horas semanais. Com remuneração, muitos desses jovens de família de baixa renda têm a oportunidade de ajudar no orçamento de casa. Atualmente são 60 jovens, de 16 a 24 anos, empregados nos setores públicos.

Texto: Lívia Lisle

Fotos: Felipe Lopes e Lívia Lisle